fbpx

Críticas | Sex Education – 3ª Temporada

Terceira temporada de “Sex Education” está disponível desde sexta-feira, 17 de setembro, pela Netflix.

Série é uma criação de Laurie Nunn. (Foto: Reprodução)

Após 20 meses de espera, a Netflix lançou a terceira temporada de Sex Education na última sexta-feira, 17 de setembro, e podemos dizer que houve uma crescente em como os alunos de Moordale estão encarando o mundo enquanto amadurecem.

A criação de Laurie Nunn trouxe, como ficou estabelecido desde o início em 2019, questionamentos sobre a identidade de gênero, as mudanças de padrões e sobre as próprias ligações afetivas. Otis (Asa Butterfield), Maeve (Emma Mackey), Eric (Ncuti Gatwa) e os outros estudantes exploraram quem são nos oito episódios e, principalmente, encararam a missão de amadurecer enquanto regras novas são impostas na escola por Hope Haddon (Jemima Kirke), a nova diretora (uma ótima adição e antagonismo).

Os novos episódios também trazem um novo conjunto de personagens a serem apreciados. Ruby (Mimi Keene) e seu relacionamento com Otis é a amostra perfeita de como consegue ser carismática. No quarto episódio, ao lado de Olivia (Simone Ashley, próxima protagonista de Bridgerton) e Anwar (Chaneil Kular), mostra facetas que aproximam do público geral. Adam (Connor Swindells) está buscando aprender e a se desenvolver. Mesmo em seu relacionamento com Eric, ele batalha constantemente com o que é esperado dele e se mostra vulnerável. Cal (Dua Saleh) é uma adição poderosa para Sex Education. Personagem não-binário, o relacionamento com Jackson (Kedar Williams-Stirling) é desenvolvido com maestria e apresenta detalhes a serem debatidos sobre os próprios preconceitos. Por fim, Lily (Tanya Reynolds) precisou reencontrar sua voz após a humilhação, e ganhou força para ser admirada.

Além disso, a produção não esqueceu de enredos passados. Aimee (Aimee Lou Wood) continua a lutar internamente após o assédio sofrido na temporada passada, e sua amizade com Maeve é fortalecida, entregando momentos preciosos. A passagem de Jean (Gillian Anderson) e Jakob (Mikael Persbrandt) pela terapia e a afirmação de tentarem se estabelecerem como família com Otis e Ola (Patricia Allison), mostra que estão dispostos a amadurecerem como casal e pessoas.

A terceira temporada de Sex Education, entretanto, caiu em alguns clichês narrativos ultrapassados para justificar algumas ações. Porém, isso não tira o mérito de apresentar momentos que estarão presentes no imaginário da audiência por algum tempo – incluindo cabras de estimação.

Sex Education continua a ser importantíssima para os debates sobre sexualidade, identidade de gênero, vida em geral de adolescentes e, até, sobre a vida adulta. Nunn e sua equipe de roteiristas aprecia trazer enredos relevantes socialmente, que dialogam com facilidade com o público. Mostrando que atos possuem consequências – nem sempre justas -, a terceira temporada se destaca por momentos importantes esperados pelo público e, até mesmo por apresentar novas possibilidades.

A terceira temporada de Sex Education está disponível desde 17 de setembro pela Netflix.

Assine nossa newsletler e compartilhe nas redes sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *